NEWS CUIABÁ
Últimas Notícias Mato Grosso Política Artigos Esportes Economia Variedades Meio Ambiente Brasil Mundo

/ Meio Ambiente

19/02/2018 - 21h42
Imprimir

Instrumentos financeiros para impulsionar a ação climática no Brasil

Fonte: RITA SILVA
A+ A-

The Lab - uma iniciativa público-privada composta por especialistas em investimentos sustentáveis ​​de governos, instituições de financiamento do desenvolvimento e setor privado - escolheu uma nova classe de veículos de investimento para impulsionar os financiamentos tão necessários para um desenvolvimento global resiliente e baixo em carbono a partir de mais de 100 idéias submetidas a um pool competitivo. Os nove novos instrumentos abordam obstáculos persistentes ao investimento em energia limpa, trânsito com baixas emissões de carbono e uso sustentável da terra em países em desenvolvimento, com foco específico no Brasil e na Índia.

Desde o início de suas atividades em 2014, The Lab lançou 25 instrumentos financeiros que mobilizaram quase US $ 1 bilhão em investimentos sustentáveis ​​até a data, incluindo US $ 228 milhões de membros do Laboratório, que incluem os seguintes fundadores da iniciativa: Bloomberg Philanthropies, David and Lucile Packard Foundation, o Ministério Federal Alemão para o Ambiente, Conservação da Natureza, Construção e Segurança Nuclear (BMUB), o Ministério dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, Oak Foundation, Fundação Rockefeller, Fundação de Energia Sustentável Shakti, Departamento de Estratégia Comercial, Energia e Industrial do Reino Unido e o Departamento de Estado dos EUA. Os membros do The Lab também incluem outros especialistas da Africa Finance Corporation, do Asian Development Bank, do Bank of America Merrill Lynch, da Blackrock, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), da CAIXA, do Climate Investment Funds, do Development Bank of Southern Africa, do Deutsche Bank, Banco de Desenvolvimento Americano, HSBC, OPIC, Willis Towers Watson, o Grupo do Banco Mundial e os governos brasileiro, indiano e ruandês, entre muitos outros.
Nova classe de instrumentos:

ENERGIA LIMPA
O Fundo de Energia Distribuída para Habitação Social visa aumentar o acesso à energia limpa para comunidades de baixa renda no Brasil, instalando sistemas de geração solar distribuídos de propriedade de terceiros em condomínios habitacionais de baixa renda e alugando a energia gerada aos inquilinos como parte de a taxa do condomínio. Proposta por Endless AB e E-gás Ltda, o Fundo de Energia Distribuída para Habitação Social tem o potencial de gerar 155 MW de energia solar distribuída e atrair US $ 186 milhões de investimento até o final de 2024.

A Green Aggregation Tech Enterprise (GATE) visa aumentar o acesso à energia limpa na África Subsaariana, atuando como uma caixa de ferramentas de agregação e desenvolvimento de projetos para mini-grids, fornecendo uma sinalização clara e consistente de preços e certeza de participação em geradores de mini-grid através de um sistema de pagamento padronizado. Ao fazer isso, os intermediários GATE diminuem o hiato tarifário entre o mini grid e a rede principal, permitindo que o investimento necessário para que os mini-grids sejam uma solução escalável.

O Solar Rooftop Solar Accelerator tem como objetivo aumentar a energia solar em telhados residenciais na Índia, arrendando sistemas de telhado solar para famílias que não possuem o histórico de crédito necessário para comprá-los e alavancando dados e tecnologia para alcançar a escala e reduzir os custos de aquisição de clientes. Proposto pela Sangam Ventures, a idéia pode ajudar a adoção da energia solar como a solução de energia preferida no nível doméstico na Índia.


USO SUSTENTÁVEL DA TERRA
O veículo de transporte de colheita (HCV) para o financiamento de produtores de árvores de pequeno porte procura financiar pequenos agricultores para criar uma oferta de madeira mais sustentável, gerando renda para os agricultores, com um programa de criação de árvores baseado em contrato que atrai investidores de longo prazo. Proposta por Komaza, essa idéia poderia potencialmente ajudar a restaurar paisagens degradadas e reduzir a pressão sobre as florestas existentes no Quênia, e oferece oportunidades de criação de riqueza para os pequenos agricultores ao longo do período do programa de 10 a 15 anos.

A Unidade de Produtos Responsáveis ​​tem como objetivo aumentar a produção e a demanda do mercado para commodities livres de desmatamento e compatíveis com o Código Florestal no Brasil, focando inicialmente na soja, por meio de incentivos para plantar em terras desmatadas e degradadas. Proposta pela BVRio, a Unidade poderia acelerar o crescimento da soja de desmatamento zero na região do Cerrado do Brasil e também tem potencial para gerar uma demanda de financiamento de até US $ 3,4 bilhões, durante os cinco primeiros anos de operação.

A Unidade de Fundo de Benefícios Socio-Climáticos tem como objetivo aumentar a restauração florestal na Amazônia, fornecendo empréstimos de longo prazo e assistência técnica aos pequenos agricultores de proteína com baixa emissão de carbono (peixe / aves / porco) para práticas agroflorestais sustentáveis. A Kaeté Investimentos, que propôs o instrumento, facilitará contratos "take-or-pay" entre os agricultores e compradores interessados ​​em produtos agroflorestais sustentáveis, garantindo e diversificando receitas para os agricultores e incentivando práticas de agrosilvicultura sustentáveis.


TRANSITO DE BAIXO CARBONO
O financiamento para riquixás de baixo carbono tem como objetivo aumentar o trânsito sustentável na Índia, mediante o financiamento de empréstimos de ativos para motoristas que utilizam as tecnologias financeiras e digitais, tais como informação e sistemas de pagamento em tempo real. Proposta por Three Wheels United, a idéia não só diminuirá as emissões dos auto-riquixás, mas também aumentará a renda dos motoristas, dando-lhes independência do aluguel.

Pay-As-You-Save for Clean Transport visa acelerar o trânsito limpo nas cidades, por reduzindo os custos iniciais dos ônibus elétricos através de um mecanismo Pay-As-You-Save onde um utilitário investe nas atualizações iniciais - baterias de bordo e estações de carregamento - e recupera esses custos com uma cobrança na conta do cliente que é menor do que a poupança estimada. O proponente da ideia, Clean Energy Works, está visando projetos-piloto iniciais na África do Sul e Índia.

A Unidade de Dívida de Longo Prazo para Baterias de Tração visa reduzir o custo de propriedade total dos ônibus elétricos na Índia, gerando receita adicional de reutilização de baterias de tração como acumuladores de energiqa após o término do período de tração, o que permitiria o uso da bateria por mais 5-10 anos. Proposta por Mytrah NN4Energy, essa idéia poderia diminuir o custo da implantação de ônibus elétrico e ajudar a implantar 5.000 ônibus elétricos na Índia por ano.

As nove idéias agora avançarão no ciclo 2018 do The Lab para análise, teste de estresse, desenvolvimento e preparação para o lançamento no final do ano. Para mais informações, visite: www.ClimateFinanceLab.org

SOBRE THE LAB
The Lab identifica, desenvolve e lança instrumentos financeiros sustentáveis ​​que podem impulsionar bilhões para uma economia de baixo carbono. É composto por vários programas regionais: o Laboratório de Inovação Global para Finanças Climáticas, o Laboratório Brasil para Finanças Verdes e o Laboratório de Inovação da Índia para Finanças Verdes. Os programas do The Lab foram financiados pela Bloomberg Philanthropies, a David and Lucile Packard Foundation, o Ministério Federal Alemão do Meio Ambiente, Conservação da Natureza, Construção e Segurança Nuclear (BMUB), o Ministério dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, a Oak Foundation, a Fundação Rockefeller, Shakti Sustainable Energy Foundation, o Departamento de Estratégia Comercial, Energia e Industrial do Reino Unido e o Departamento de Estado dos EUA. Climate Policy Initiative atua como Secretaria. 

  Últimas

19/02/2018 - 21h42
Educar é um ato de acolher
19/02/2018 - 21h42
Médico-veterinário é aliado na perícia para desvendar crimes de maus-tratos contra animais
19/02/2018 - 21h42
Educação Ambiental é tema de seminário em Juara
19/02/2018 - 21h42
Reportagens apontam riscos de construção indiscriminada de hidrelétricas para meio ambiente em MT
19/02/2018 - 21h42
Aripuanã vive a febre do ouro com garimpo ilegal
© 2011 - Todos os direitos resevados a News Cuiabá
Fale conosco: contato@newscuiaba.com.br
JobDigital