NEWS CUIABÁ
Últimas Notícias Mato Grosso Política Artigos Esportes Economia Variedades Meio Ambiente Brasil Mundo

/ Política

10/01/2019 - 07h32
Imprimir

Allan comemora fim da CPI dos Fundos

Fonte: teo meneses
A+ A-
Foto: REPRODUÇÃO

O professor e deputado Allan Kardec (PDT) comemorou, nessa quarta-feira (09), aprovação do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou desvios de recursos de fundos vinculados. Foram confirmadas retenções ilegais de R$ 500,8 milhões apenas em relação ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

 

Além do desvio no Fundeb, as investigações demonstraram ainda que Mato Grosso deixará de receber R$ 645 milhões por conta de um acordo extrajudicial firmado entre o Estado e a Petrobrás. “Temos a sensação de missão cumprida. Como professor da rede estadual e cidadão, lutamos pela criação da CPI há exatamente um ano e agora vemos os resultados”, afirmou Allan.

 

O relatório final foi aprovado por unanimidade, nessa quarta, e seguirá para o plenário juntamente com as sugestões discutidas a partir de oitivas e análise de documentos recebidos ao longo de um ano. Também foi sugerido ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e governo de Mato Grosso que criem mecanismos para aumentar fiscalização dos gastos com o Fundeb e Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação), além da criação de contas bancárias específicas para evitar que os recursos sejam usados indistintamente na Conta Única do Executivo.

 

De acordo com relatório, o governo arrecadava recursos dos dois fundos vinculados e gastava em outras áreas, o que ainda precisa ser analisado pelo Ministério Público. Ao receber mais dinheiro, devolvia fora do prazo para as pastas aplicarem nos fundos da Educação e Infraestrutura.

 

“Propus que os relatórios sejam encaminhados ao Tribunal de Contas da União (TCU) e Ministério Público Federal (MPF) para que possamos também responsabilizar os agentes públicos envolvidos nisso”, completa Allan.

 

Em relação ao acordo com a Petrobrás, a estatal devia R$ 1,3 bilhão, mas acordou pagar R$ 372 milhões e usará outros R$ 103 milhões em créditos de ICMS, o que gera uma diferença de R$ 645 milhões.

 

 

  Últimas

10/01/2019 - 07h32
Negociação entre estado e Banco Mundial pode gerar economia de quase R$ 800 mi
10/01/2019 - 07h32
Reunião de vereadores com o ministro da Saúde foi adiada para esta quinta
10/01/2019 - 07h32
Guias referentes ao exercício 2019 do IPTU tiveram alterações na forma de pagamento
10/01/2019 - 07h32
CPI da Previdência tem cinco dias para indicar os nomes
10/01/2019 - 07h32
Mais de 700 alunos da rede municipal de Cuiabá participam de projeto que incentiva a leitura
© 2011 - Todos os direitos resevados a News Cuiabá
Fale conosco: contato@newscuiaba.com.br
JobDigital